A Prestação de Contas e a Credibilidade das Organizações

Quando uma entidade do Terceiro Setor é selecionada para desenvolver um projeto, seja por meio de chamamento público, edital de patrocínio, ou simplesmente quando recebe o apoio de uma empresa ou órgão governamental, a felicidade é imensa, até a página dois.

Prestar contas do recurso transferido para a organização é um dos grandes pesadelos de muitas organizações, que infelizmente só pensam nessa questão, no período de finalização da execução dos projetos ou no final de vigência das parcerias.

Embananar-se com o preenchimento de formulários, com a elaboração de tabelas de gastos e documentos fiscais é quase um imperativo nas organizações, principalmente as que têm pouco tempo de atuação no setor. Isso normalmente acontece porque os gestores não têm em mente que a prestação de contas é um dos fatores mais importantes para o bom andamento dos trabalhos. Detalhar suas ações e gastos não é nenhum bicho de sete cabeças, e se for feita com competência é um triunfo na construção da reputação da entidade.

Uma organização que faz uma boa prestação de contas, demostra transparência e, consequentemente acaba sendo mais respeitada e bem colocada no segmento. Por isso, se você quer cumprir sua missão de forma correta e ser lembrado(a) pela competência, transparência e bom uso dos recursos transferidos para o desenvolvimento de seus projetos, seguem algumas dicas preciosas sobre como fazer uma boa prestação das contas.

· Guarde todas os documentos fiscais: exija sempre a nota fiscal de todos os serviços que forem prestados e de todos equipamentos que forem comprados ou alugados. Por mais que o seu financiador não peça as notas fiscais para a liberação dos pagamentos, você terá o controle dos gastos e terá como comprová-los durante a posterior prestação de contas.

· Detalhe todos as ações e como foram alocados os recursos recebidos: tenha em mente que prestação de contas é mais do que tabelas e notas fiscais. O detalhamento das ações, os relatórios e as evidências fotográficas também fazem parte do pacote. Portanto, crie o hábito de fotografar cada ação do seu projeto, de fazer e guardar listas de presença, elaborar gráficos e dados estatísticos contendo resumos e resultados das ações, e juntar cada material de divulgação (seja impresso, online, em vídeo ou áudio) que comprovem a realização das atividades.

· Tenha ajuda de um contador: ter um contador especializado em contabilidade do terceiro setor, pode ser de grande ajuda, principalmente para as organizações que estão começando sua atuação.

· Faça prestações de contas periodicamente: crie o hábito de sempre prestar contas para seus associados, para sua comunidade, para seus doadores e financiadores. Isso fará com que você e sua organização entendam a necessidade e pratiquem o aperfeiçoamento da prestação de contas.

Não perca mais tempo, converse com sua equipe e monte novas estratégias para melhor elaborar sua prestação de contas. Como você viu, ela é importante para que sua entidade tenha credibilidade e, para que você possa gerir sua entidade com mais transparência, ética e legitimidade.

Mas será que a prática da transparência na prestação de contas é importante somente para as organizações do Terceiro Setor? Veremos no próximo artigo que com o novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), os gestores públicos passarão a ser responsáveis pelo parecer técnico de aprovação da prestação de contas dos convênios das organizações com o poder público. Será que estamos por dentro das alterações na legislação do Terceiro Setor? É isso que vamos discutir no próximo artigo. Fique ligado(a).

Quer saber mais sobre o Terceiro Setor? Clique aqui, entre para nossa rede de relacionamento e receba conteúdos exclusivos. É rapido e fácil!

Saiba como as mudanças da nova Lei 13.019/14 impactam a sua organização no curso Direito do Terceiro Setor: MROSC. Inscreva-se aqui!

Comment

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*