Qual a importância das Ongs para a sociedade?

Vivemos em tempos de desesperança, alienação e apatia de boa parte da população frente aos problemas sociais e ambientais. Nesse cenário, as ONGs surgem como instituições preocupadas em mudar esse ambiente e aumentar o nível de felicidade por meio da solução de problemas comuns da sociedade. É por isso que o papel do Terceiro Setor deve ser valorizado em nossa sociedade.

Uma ONG é uma Organização Não Governamental que nasceu da vontade de ajudar a sociedade e não visa lucro. Desde que o termo começou a ser usado no Brasil, na década de 70, ele designava todo tipo de organização engajada de algum modo na luta pela democracia política e social. As ONGs trabalham onde o Estado não chega e, para isso, contam com a colaboração tanto da esfera pública quanto de instituições privadas.

Obs: Por mais que o Marco Regulatório tenha trazido a denominação de OSC (Organizações da Sociedade Civil), continuamos a utilizar a sigla ONG (Organização Não Governamental).

Por meio das ONGs, muitos têm a possibilidade de conhecer e fazer parte de uma realidade diferente e expandir sua visão de mundo. As ONGs atuam como centros de criatividade e inovação na busca pela solução de problemas complexos. Nesse artigo vamos falar um pouco mais sobre quem são os beneficiados e o que as ONGs trazem para a vida das pessoas.

O papel das ONGs atualmente é muito abrangente, visto que elas podem atuar em várias frentes, desde lidar com as tensões e desigualdades sociais, os problemas decorrentes da superpopulação das grandes metrópoles, até as questões ecológicas. O contexto em que vivemos exige uma atuação cada vez maior e mais eficiente por parte das organizações não governamentais.

Diversidade, facilidade e cooperação

As ONGs trabalham para aumentar a eficiência das políticas públicas e inovar nas soluções, otimizando seus resultados. Elas ajudam a criar e desenvolver redes de conhecimento e de ação. Com flexibilidade e dinamismo, é mais fácil trocar informações e buscar parceiras entre aqueles que buscam o mesmo propósito.

Existem centenas de milhares de fundações e associações sem fins lucrativos no Brasil, entre organizações que são braços assistenciais de empresas, instituições comunitárias e outras totalmente independentes.  Os movimentos sociais também são numerosos e englobam diversas associações de classe, muitas ainda atuando informalmente. Em um cenário tão diversificado, apontar para um papel central de todas as ONGs é um desafio.

O ponto-chave do funcionamento das ONGs e de sua razão de existir é que elas são muito mais flexíveis e menos burocráticas do que o Estado. As equipes têm mente jovem e aberta ao novo, sem medo de mudanças. Essa visão favorece a busca de parcerias para encontrar as soluções de problemas que afetam o nicho da sociedade que elas buscam atender.

O conceito de valor compartilhado é muito importante no universo das ONGs. Ninguém consegue fazer um mundo melhor sozinho. Contar com o desejo de filantropia de empresários conscientes, mas que sem a ajuda das ONGs estariam bastante limitados em suas ações.

A ideia de valor compartilhado

As ONGs entram como parceiras do Primeiro Setor (Governamental) para solucionar os problemas e do Segundo Setor (Mercado) para atuar como parceiros na realização de projetos sociais, ambientais e que tragam benefícios reais para a sociedade. Os dois primeiros entram com os investimentos e as ONGs com as ações. Quem sai ganhando, no fim das contas, é a sociedade como um todo.

No conceito de valor compartilhado, a empresa identifica uma necessidade social e cria um produto ou serviço para atendê-la. Isso vale para indústrias que investem na formação de jovens visando aproveitar essa mão de obra qualificada mais tarde ou para companhias que investem recursos para melhorar a comunidade em que se situam e melhora a visão que clientes e colaboradores têm dela. E esses são apenas alguns exemplos de iniciativas empresariais que podem criar valor tanto para a organização quanto para a sociedade.

O papel das ONGs nessa situação é trabalhar puramente a questão social, mas acaba recebendo apoio graças a essas parcerias, numa situação em que todos ganham. Afinal, todos estão ajudando a fazer um mundo melhor e proporcionando soluções para quem mais precisa. Por isso é tão importante que as ONGs não se isolem, mas se engajem cada vez mais não só em denunciar os problemas, mas também em buscar as soluções junto àqueles que tomam as decisões, sejam as empresas, ou seja, o Estado.

Se você deseja entender mais sobre o funcionamento das ONGs ou se especializar no assunto, precisa conhecer o curso online Direito do Terceiro Setor! E se ficou com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato ou deixe sua pergunta nos comentários!

Comment

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*