Relatar histórias bem sucedidas de ideias inspiradoras que saíram do papel e hoje ajudam milhares de pessoas, nos motiva a continuar sonhando e realizando, não é mesmo? E não são só projetos gigantescos e de atuação mundial que merecem destaque. Desconsiderar a importância das pequenas ONGs significa tornar a vida da população que é beneficiada por elas ainda mais difícil.

Muitas vezes os  pequenos projetos têm mais dificuldade para se classificarem em processos seletivos e editais públicos ou privados que escolhem projetos sociais para ajudar.

As ações sociais de ONGs menores podem ser simples ou mesmo paliativas, mas nem por isso deixam de ajudar a transformar a realidade de muita gente. Pequenas ONGs também podem realizar um trabalho sério e essencial para a comunidade e, por isso, separamos aqui algumas histórias de ONGs que deram certo para que você possa conhecer mais sobre elas, seus fundadores e se inspirar. Confira!

Banco Pérola

Alessandra França

Uma jovem de Sorocaba (SP) criou uma ONG de microcrédito inspirada em um vencedor do prêmio Nobel da Paz. Aos 27 anos, Alessandra França criou o Banco Pérola, uma ONG que oferece microcrédito para empreendedores de baixa renda. Ela admirava o economista bengalês Muhammad Yunus, conhecido como o “Banqueiro dos Pobres”, que oferece ativamente microcrédito para milhões de famílias visando acabar com a pobreza.

A instituição fundada  por Alessandra começou a operar em 2010 e já ajudou centenas de pequenos negócios de empreendedores das classes C, D e E de Sorocaba e região. O microcrédito é concedido para quem quer abrir ou ampliar o próprio negócio, mas não consegue subsídio nos bancos privados, porque não têm como comprovar renda ou estão com o “nome sujo”.

O Banco Pérola consulta o Serviço de Proteção ao Crédito para verificar o histórico de dívidas de quem quer o empréstimo, mas se a restrição existente for decorrente de perda do emprego, por exemplo, o empréstimo ainda assim é feito. O pagamento do empréstimo, que é de até R$ 5 mil por pessoa, pode ser parcelado em até 12 vezes. A taxa de juros não é a menor do mercado, mas a facilidade de crédito é o grande diferencial.

A taxa de inadimplência chega a menos de 3% do total de clientes atendidos e a ONG funciona como uma operadora de crédito sem fins lucrativos. Agentes da instituição visitam a empresa beneficiada periodicamente para avaliar o desempenho do negócio e ajudar o empreendedor. O microcrédito orientado é uma ideia que está dando certo e que começou com o dinheiro de um prêmio de R$ 40 mil – o projeto concorreu com outros 200 em um programa de uma aceleradora de negócios sociais.

O prêmio ainda envolveu dois anos de consultoria, que Alessandra usou para aprender a gerenciar pessoas e criar estratégias de marketing. Depois disso, o capital foi aumentado graças às doações e investimentos que ela conseguiu com empresas grandes como a Votorantim. O dinheiro que volta para o banco é novamente emprestado para outros.

Novo Ser

A administradora de empresas Nena Gonzales viu sua vida se transformar quando seu filho mais novo, Ricardo, sofreu um acidente de carro e ficou tetraplégico. O rapaz tinha 15 anos e passou a depender da mãe para tudo. Hoje, graças ao apoio, dedicação e luta da mãe, é Ricardo quem ajuda outras pessoas a superarem as limitações da falta de movimentos.

Nena criou a ONG Novo Ser, uma instituição sem fins lucrativos que luta pelo respeito e a valorização da cidadania das pessoas com deficiência, buscando oportunidades iguais e a superação de obstáculos sociais que atrapalham o processo de inclusão. A ideia era contribuir com mudanças que transformassem a visão que as pessoas têm sobre a deficiência. Eles conseguiram isso ao incentivar o resgate dos deficientes ao convívio social com programas como o “Praia para Todos”, que disseminou o conceito de acessibilidade em praias de todo o Brasil, e a criação de um campeonato mundial de futebol em cadeira de rodas elétrica.

A ONG que já promoveu uma grande mudança na vida de milhares de pessoas pode ter surgido de um momento pessoal muito difícil, mas a experiência adquirida permite que ela preste consultoria e assessoria aos mais diversos setores da sociedade e promova seminários e palestras sobre a inclusão social da pessoa com deficiência.  A Novo Ser ganhou o 1º lugar no concurso de Jornalismo Universitário da CNN em 2010 com o documentário “Praia para Todos”, o prêmio Sentidos em 2011 e tem o selo de organização parceira da ONG Rio Voluntário.