Conheça as tendências atuais das organizações da sociedade civil ao redor do globo

Sobre o Terceiro Setor, internacionalmente, há uma notícia ruim e outra boa. A ruim vem primeiro: o mundo todo sofre da falta de dados estatísticos sobre a atuação das organizações sem fins lucrativos, que tomam para si o papel que o estado deveria assumir.

Faltam avaliações que apontem o caminho das melhorias necessárias e a busca de soluções para os diversos problemas enfrentados. Nesse metiér há uma preocupação que se destaca, e parece ser comum a todas as organizações do mundo: o desafio da gestão sustentável e transparente.

A boa notícia é que o mundo já entendeu as dificuldades em tentar superar os obstáculos do Terceiro Setor e está partindo para a busca intensiva de informações com vistas a uma autoanálise profunda.

Em Baltimore, estado de Maryland, Estados Unidos, a International Society for Third-Sector Research (ISTR) afirma que está ocupada em pesquisas sobre o tema e admite: “nesta era de grandes mudanças na maneira como as sociedades estão organizadas, o Terceiro Setor tem uma tarefa crítica, com crescente importância em muitos países”. Para a ISTR, “pesquisas internacionais voltadas para um melhor entendimento das implicações econômicas, sociológicas, históricas, culturais, legais e políticas têm sido impulsionadas”.

Cinquenta e nove eventos sobre o tema estão marcados para acontecer em diversos estados norte-americanos, em 2016

Em junho de 2016, a ISTR realizará a sua décima-segunda conferência sobre o tema em Estocolmo, na Suécia. Mas também há outros 59 eventos de organizações afins, marcados para acontecer em diversos estados norte-americanos em 2016, conforme informações do blog da EveryAction, organização especializada em ferramentas para o Terceiro Setor.

Europa levanta dados

Não obstante as pesquisas, dados e estatísticas sobre o Terceiro Setor ainda serem muito pontuais, os europeus estão a meio caminho do que parece ser a primeira grande coleta e análise de dados sobre o tema. A Third Sector Impact Comunity (TSI), sociedade civil que coordena projetos, realiza pesquisas e oferece consultoria para o Terceiro Setor na Europa, com mais de cem investidores daquele continente, tomou para si a grande tarefa. O projeto Third Sector Impact é uma pesquisa comparativa que está sendo realizada por mais de trinta pesquisadores de dez universidades parceiras da Europa. O objetivo é tornar visível aos cidadãos, políticos e ativistas europeus a conceitualização, a quantificação, o impacto e as barreiras enfrentadas pelas organizações sem fins lucrativos. Mas o intuito mais importante é gerar o conhecimento que, segundo a TSI, vai aumentar muito as contribuições do setor para o desenvolvimento socioeconômico do velho continente.

O projeto Third Sector Impact é uma pesquisa comparativa que está sendo realizada por mais de trinta pesquisadores de dez universidades parceiras da Europa

Trocando em miúdos, a iniciativa irá definir melhor o conceito de Terceiro Setor nas manifestações europeias; identificar o tamanho, estrutura, composição, tendências e apoiadores das organizações; identificar o impacto do Terceiro Setor na economia, inovação, bem-estar do cidadão, engajamento cívico, desenvolvimento humano e, por fim, identificar barreiras internas e externas às organizações para, depois, sugerir soluções.

Características distintas

A TSI já identifica diferenças no Terceiro Setor de cada país. Por exemplo, Croácia e Polônia estão atrasadas no assunto, por terem um passado recente sob regime comunista. Já a Áustria, a França, Alemanha e Holanda representam o padrão dominante no Terceiro Setor europeu, onde há uma relação estreita com o estado.

Representante da Escandinávia, a Noruega mostra que naquela região do mundo o Terceiro Setor funciona menos como provedor de serviços e mais como um veículo para o engajamento cívico e voluntariado. Na Espanha e Itália a tendência é a “economia social”, um dos componentes do Terceiro Setor. O Reino Unido adota um modelo liberal do ativismo de caridade.

As informações coletadas pelo projeto, junto a diversos parceiros, agora devem ser analisadas para testar a validade metodológica dos indicadores de impacto da TSI. Os resultados sobre as barreiras internas e externas do Terceiro Setor serão apresentadas pela TSI em abril de 2016, durante a Conferência da Sociedade de Pesquisa Internacional para a Administração Pública, em Hong Kong.

Fiquemos de olho para aprender com os resultados.

Confira algumas das principais organizações do Terceiro Setor ao redor do mundo:

Austrália/Nova Zelândia
Australia and New Zealand Third Sector Research (ANZTSR)

Canadá
Association for Nonprofit and Social Economy Research

China
China NPO Network

República Checa
Society for the Study of the Nonprofit Sector/SSNS

Europa
EMES European Research Network
ERNOP (The European Research Network on Philanthropy)

Finlândia
Association for Research on Civil Society

França
Association for the Development of Documentation on the Social Economy/ADDES

Índia
Third Sector Research Group, India (TSRGI)

Irlanda
Association for Voluntary Action Research in Ireland (AVARI)

Israel
Israeli Center for Third Sector Research

Japão
Japan NPO Research Association (JANPORA)

Coréia
Korean Association for Nonprofit Organization Research (KANPOR)

México
Mexican Center for Philanthropy (CEMEFI)

Escócia
Scottish Council for Voluntary Organizations

Taiwan
Taiwan Philanthropy Information Center
Taiwan Association for Third Sector Research/TATSR

Reino Unido
Voluntary Sector Studies Network (VSSN)
Association for Research in the Voluntary and Community Sector/ARVAC